Matéria escura é responsável pelos raios gama do centro da Via Láctea?


Matéria Escura
 
A matéria escura é responsável pelos raios gama extras vindos do centro da Via Láctea?
 
Durante anos, os astrônomos ficaram intrigados com um estranho excesso de raios gama vindos do centro da galáxia. Aniquilar a matéria escura sempre foi uma explicação tentadora, e novas pesquisas afirmam que é a melhor resposta.

Nos últimos 11 anos, o telescópio de raios gama Fermi-LAT da NASA observou um estranho excesso de radiação de alta energia vinda da direção de nosso centro galáctico. A origem dos raios gama, que são relativamente difusos ao redor do núcleo, atualmente não tem uma boa explicação.

Embora as explicações potenciais sejam abundantes, talvez a mais intrigante seja a ideia de que os raios gama podem ser emitidos pela matéria escura. Na maioria dos modelos de matéria escura (a forma misteriosa e invisível da matéria que constitui mais de 80% da massa do universo), as partículas de matéria escura podem interagir ocasionalmente. Quando o fazem, elas se aniquilam em um flash de raios gama. 
 
Essa interação acontece muito, muito raramente. Mas os modelos de matéria escura predizem um monte de coisas nos núcleos das galáxias . O suficiente para acender em raios gama.
 
Recentemente, uma equipe de pesquisadores refinou esse modelo de matéria escura e o comparou a explicações mais mundanas, como uma população extra de raios cósmicos criando o excesso de raios gama.

“A metodologia de análise usada”, explica Mattia di Mauro, pesquisador da divisão de Torino do Instituto Nacional de Física Nuclear e principal autor do novo estudo, “forneceu informações muito relevantes sobre a distribuição espacial do excesso de radiação gama, que pode explicar o que gera o excesso de fótons de alta energia no centro galáctico.
Se o excesso fosse, por exemplo, causado pela interação entre raios cósmicos e átomos, esperaríamos observar sua maior distribuição espacial em energias mais baixas e sua difusão mais baixa em energias mais altas devido à propagação de partículas cósmicas. Meu estudo, por outro lado, destaca como a distribuição espacial do excesso não muda em função da energia. Este aspecto nunca havia sido observado antes e pode ser explicado pela interpretação da presença de matéria escura. Isso ocorre porque pensamos que as partículas que compõem o halo de matéria escura deveriam ter energias semelhantes. A análise mostra claramente que o excesso de raios gama está concentrado no centro galáctico, exatamente o que esperaríamos encontrar no coração da Via Láctea se a matéria escura fosse de fato um novo tipo de partícula.” 

O resultado está longe de ser conclusivo, entretanto. Embora os modelos de matéria escura possam ser coagidos para explicar o excesso, os astrônomos precisariam de uma verificação independente dessa ideia antes de aceitá-la.
 

Nenhum comentário: