Chuva em outros planetas


Chuva

Na Terra quase sempre chove em algum lugar, mas podemos nos perguntar se isso acontece em outros planetas. A chuva é um fenômeno meteorológico com o qual o ser humano tem uma relação muito próxima.
 
Quando moramos em cidades, os dias de chuva às vezes acabam parecendo mais uma complicação do que um grande acontecimento: o trânsito fica lento, as ruas inundam, molhamos os pés nas poças.
 
Mas talvez esqueçamos um pouco que sem essa parte do ciclo da água, não só a nossa, mas a de todo o planeta, não seria possível.
 
O planeta Terra tem a peculiaridade de ser o único com vida que conhecemos, e também o único local do Sistema Solar com água abundante, que também pode estar em seus três estados de agregação: sólido, líquido e gasoso.
 
E é o vaivém entre esses estados de agregação que faz a água circular no planeta: ela evapora dos corpos d'água, congela e em algum ponto também se precipita como chuva ou granizo.

Se não houver água em outros planetas do Sistema Solar, podemos pensar que então não pode haver chuva, mas não é o caso.
 
Chuva

Nem tudo que chove é água 
 
Como terráqueos que somos, não podemos associar a água ao fenômeno da chuva , mas isso não quer dizer que seja a única opção de precipitação atmosférica.

Para isso temos que ter muito claro que praticamente todas as substâncias podem estar no estado sólido, líquido ou gasoso, dependendo da temperatura e pressão.

Portanto, dadas as condições de um planeta, independentemente de sua atmosfera ou superfície não conter água, pode haver algum tipo de chuva
. 
 
Chuva

Nuvens de metano em Titã
 
Não é um planeta, mas em Titã, a maior lua de Saturno, chove metano, um hidrocarboneto, que na Terra é encontrado em campos de gás natural.

Este satélite é único não só por causa de seu tamanho, mas porque tem uma atmosfera que contém gases como nitrogênio e metano.

O metano também está presente na forma líquida e sólida em sua superfície, de onde pode evaporar e formar nuvens, que acabam produzindo uma chuva de metano.

Essa precipitação pode ocorrer como cristal de metano, algo como granizo de metano , mas também como chuva de metano líquido.
 
Chuva

Chuva ácida em Vênus
 
Se quisermos ver como seria um possível futuro da Terra, em que não controlemos o aumento do dióxido de carbono na atmosfera, que causa o aquecimento global, talvez possamos dar uma olhada em Vênus

Com uma atmosfera composta principalmente de dióxido de carbono, Vênus tem temperaturas de superfície mais altas do que Mercúrio, embora esteja mais distante do sol.
 
Também contém dióxido de enxofre que forma nuvens, das quais se precipita na forma de chuva de ácido sulfúrico.
 
 
Diamantes

Está chovendo diamantes
 
Nas atmosferas desses gigantes do Sistema Solar existe metano, como em Titã, mas também sabemos que intensas tempestades elétricas ocorrem em ambos os planetas.

As intensas descargas elétricas dos raios fazem com que as moléculas da atmosfera reajam ou se decomponham: em Júpiter e Saturno existe metano e este pode se decompor em carbono que, dependendo das condições de precipitação, pode cair na forma de grafite ou mesmo de diamantes.

Embora por enquanto não tenhamos evidências tangíveis de que isso é algo que realmente está acontecendo, não para de soar quase poético que possa haver planetas onde a chuva é feita de diamantes.

Mas não esqueçamos que embora nossa chuva não tenha pedras preciosas, ela contém água: um dos recursos mais valiosos que temos na Terra.
 
Fonte: FayerWayer

Nenhum comentário: